Notícias

28 de Fevereiro de 2019

Evento com mais de 500 professores marca a abertura do Ano Letivo 2019 do Programa União Faz a Vida da Sicredi UniEstados

Palestra com Emília Cipriano levou a uma reflexão do papel do educador no século XXI

Em um auditório repleto com mais de 500 professores dispostos a fazer a diferença, reunidos na noite desta terça-feira, 26 de fevereiro, foi realizada a abertura do Ano Letivo 2019 do Programa A União Faz a Vida da Sicredi UniEstados. O evento aconteceu no Galpão Campeiro, em Erechim, e contou com a presença do Diretor Executivo da Sicredi UniEstados, Elisandro Luis Marmentini; do Gerente de Comunicação, Marketing e Relacionamento Carlos Alberto Thys, de prefeitos, vice-prefeitos, secretários municipais de Educação; coordenadores locais, diretores e coordenadores pedagógicos das escolas dos municípios de Barra do Rio Azul, Campinas do Sul, Mariano Moro, Maximiliano de Almeida, Paulo Bento, Piratuba, Severiano de Almeida, Ouro e Três Arroios, além dos assessores pedagógicos da Faculdade Ideau e da Unoesc; gerentes e colaboradores das agências do Sicredi.

As boas-vindas aos participantes foi feita pelo Diretor Executivo Elisandro Luis Marmentini, que agradeceu a presença de todos e a parceria no desenvolvimento dessa ação educativa. Segundo ele, o Programam A União Faz a Vida é o principal programa de responsabilidade social do Sicredi, gerido pela Fundação Sicredi, em parceria com as secretarias de Educação dos municípios. Conforme destacou Marmentini, este trabalho reforça a missão do Sicredi em contribuir com o desenvolvimento das comunidades. “Nós incentivamos a formação de valores de cooperação e cidadania porque acreditamos que estes princípios são capazes de transformar a vida das pessoas e a realidade do mundo em que vivemos”, concluiu.

Na área de atuação da Sicredi UniEstados, o Programa a União Faz a Vida é desenvolvido em nove municípios, chegando a cerca de 4 mil alunos de 32 escolas e cerca de 500 professores. No ano de 2018, foram desenvolvidos 166 projetos cooperativos com temas variados, onde o foco está no protagonismo dos alunos no processo de ensino e aprendizagem.

Segundo o Diretor da Escola de Educação Básica Ideau – Santa Clara, Ivonei Grolli, a Faculdade Ideau é parceira da Sicredi UniEstados na assessoria direta às escolas e professores do Programa, e que a instituição de ensino acredita que essas parcerias são o que de fato fazem com que a educação seja transformadora. “Nós precisamos de parcerias entre empresas privadas, universidades, escolas e prefeituras para que se possa somar forças e transformar as escolas e a educação”, concluiu.

Também usou da palavra o Professor. Me. Celso Paulo Costa, Diretor de Graduação, de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão da Unoesc – Campus Chapecó, igualmente parceira do Programa na assessoria às escolas e professores em Santa Catarina. Ele destacou a importância do evento na vida dinâmica das escolas, dos professores e dos estudantes envolvidos. “É uma reflexão oportuna no momento em que as escolas precisam entender que o foco da educação não é mais como outrora. Hoje nós precisamos de uma educação mais participativa, cooperativa, de modo que todos os envolvidos no processo de ensino e aprendizagem possam estar participando e aprendendo conjuntamente”, ressaltou o professor.

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI

A grande atração da noite foi a palestra da Professora Doutora Emília Cipriano, com o tema “Os Desafios da Educação do Século XXI: Protagonismo dos Alunos e o Protagonismo dos Professores”. A Doutora em Educação, palestrante de renome nacional, lembrou que todos somos diferentes e todos podemos aprender de formas diferentes. “O professor é um fundador de mundos, um construtor e um gestor de sonhos. Somos aqueles que constroem uma lógica na vida das pessoas”, disse a Mestre em Psicologia da Educação. Em sua palestra, fez uma abordagem sobre a necessidade de mudança que a escola tem nesse momento histórico, considerando as mudanças não só do ponto de vista da tecnologia, como das relações humanas. Para ela, nunca se precisou tanto transformar essa escola.

Para Emília Cipriano, o acolhimento tem que ser permanente durante todo o processo de vida na escola. “O desafio do educador é construir vínculos especiais com cada criança. O acolher é inclusão no sentido mais profundo de respeito ao outro que chega, trazendo muitas vezes insegurança, desafios, necessidades de romper provisoriamente laços, jeito de ser e de viver. O olhar do educador é fundamental no que se refere à sensibilidade de estar atento às crianças, como um exercício de descoberta de quem são, suas histórias de vida e de família. Quando somos bem acolhidos, sentimo-nos confortáveis e esperançosos de que estar naquele espaço pode ser bom e possível ser feliz”, afirmou a palestrante.

Para a especialista, todos esses elementos estão intimamente ligados ao Programa A União Faz a Vida. “Isso revela que estamos construindo um programa que vem ao encontro de uma necessidade. Não só do ponto de vista da teoria, mas das práticas pedagógicas e das relações humanas numa perspectiva de transformação e mudança”, relacionou. “O Programa A União Faz a Vida é uma grande referência de materialização dessas chamadas, novas competências, que são importantes e transformadoras”, finalizou Emília.